Como economizar em uma obra sem abrir mão da qualidade

Economizar na construção ou reforma de um imóvel é a preocupação de muitas pessoas. O problema é que na maioria das vezes o barato sai caro...Então, não dá simplesmente para buscar alternativas mais em conta, pois quase sempre pagar um pouco mais trará benefícios enormes, mesmo que não sejam imediatos. Mão-de-obra barata pode atrasar o andamento de uma obra, materiais podem ter pouca durabilidade e por aí vai.

A partir da minha experiência com gestão de projetos e obras vou tentar esclarecer alguns pontos que podem ajudar a aliviar o bolso!


1. Projeto

Um projeto de arquitetura ocupa fatia significativa do custo total da obra. Mas é o pontapé inicial para se economizar com qualidade. O arquiteto desenvolverá, além do projeto detalhado, planilhas com custos de materiais e cronogramas de obra. Desta maneira fica fácil decidir onde investir mais ou menos e se ter idéia do tempo que a obra irá demorar.



2. Mão de obra construtiva


Prefira contratar uma equipe de obras coordenada por arquiteto ou engenheiro. Estes profissionais, além de serem responsáveis técnicos pela obra, irão organizar o restante da equipe garantindo que a reforma ou construção seja concluída dentro do prazo estipulado e com o resultado esperado. Na maioria das vezes apenas o projeto não garante o bom resultado, já que alguns funcionários não conseguem entender uma informação mais técnica detalhada no projeto.

Em obras maiores fique atento para que a mão-de-obra seja qualificada e fuja dos “faz-tudo”. É importante ter um pedreiro, um pintor, um gesseiro, um eletricista e um bombeiro. Dificilmente um excelente eletricista será capaz de ter um bom acabamento de pintura, por exemplo! Então, se precisar refazer o serviço, o gasto será ainda maior! Em reformas menores, pode-se economizar contratando um único profissional para pintar paredes, fixar quadros e prateleiras, substituir metais, trocar rejuntes etc.

Contrate o serviço por empreitada, ou seja, um preço fixo por toda a obra independente do tempo que ela irá durar. Para isto, além do projeto, é importante uma ata onde consta todas as obrigações do contratante e contratado. Serviços pagos por diária costumam sair bem mais caros e pode prolongar o término da obra.



3. Material básico


O material básico como areia, cimento, pedra, tijolos e telhas não costumam ter variações de preços muito altas, mas mesmo assim uma pesquisa ainda é a melhor forma de se economizar.

Os blocos de concreto costumam ser mais baratos do que os tijolos de barro, porém são mais pesados e devem ser levados em conta no caso de reformas, principalmente em edifícios de mais de um andar para não gerar sobrepeso na estrutura existente.

Atenção à economia da madeira do telhado. Madeiras de qualidade inferior apodrecem rápido e precisam ser logo substituídas. Também é importante ficar atento às tubulações de pvc e cobre e utilizar a correta para cada situação.

Comprar cargas fechadas deste tipo de material faz com que o custo caia consideravelmente. Por isso é importante ter em mãos o quantitativo correto (com alguma sobra para eventuais “surpresas”) que pode ser fornecido pelo responsável pela obra no inicio da obra.

Se conseguir comprar o material diretamente do fornecedor ao invés de lojas de materiais de construção, o custo será ainda menor.


4. Materiais de Acabamento


Aí e que está a grande diferença de preço! Como estes materiais é que darão a “cara” da casa, além de bons precisam ser bonitos. E para se ter uma casa linda, não precisa optar apenas por acabamentos mais caros!

Tudo bem, você amou aquele mármore importado, um porcelanato maravilhoso e um mix de pastilhas que nunca viu igual! Mas custam mais do que poderia gastar...O que fazer?

Opte por um ambiente e por detalhes nestes materiais! Você pode fazer a bancada do lavabo com mármore mais caro e economizar nos outros banheiros com mármores e granitos nacionais! O porcelanato lindo não precisa ser usado na casa toda também! E a pastilha tão desejada não será usada em todas as paredes: fica muito mais bonito se utilizar cerâmica branca como base e o revestimento mais interessante em apenas em uma das paredes, ou ainda em um pequeno detalhe!

Para este tipo de material comparar preços em mais de uma loja vale super a pena! Claro que isto lhe tomará um pouco mais de tempo mas nem sempre onde o piso está com excelente preço as louças também estarão. Fique atento à promoções e nunca compre a quantidade exata de cerâmica, o ideal é de 10% a 15% de sobra! Isto porque algumas peças podem se quebrar e outras não serem totalmente aproveitadas devido à ambientes muito recortados.


5. Iluminação


Use sempre lâmpadas led. Como já sabemos este tipo de lâmpada tem um custo inicial maior, mas trará enorme economia na conta de luz!

Em ambientes maiores prefira seções independentes de iluminação, Desta forma, em uma sala por exemplo, você não precisa acender a luz da mesa de jantar enquanto estiver assistindo tv, reduzindo-se também os gastos com a conta de luz.

Se optar por iluminação indireta, com abas no gesso, não precisará de luminárias, apenas lâmpadas. Para o restante, abuse de spots de embutir básicos que têm ótimo preço. Deixe para investir em um bonito pendente sobre a mesa de jantar para trazer mais personalidade ao ambiente.


Ambiente com iluminação indireta, spots básicos embutidos e pendente sobre mesa de jantar: as lâmpdas são led e acendem em circuitos independentes.

Espero que as dicas ajudem-no a economizar...mas sem abrir mão da qualidade!!! ;-)

Até o próximo Post!

Fernanda Medeiros



Featured Posts
Recent Posts
Posts em breve
Fique ligado...
Archive
Search By Tags
Follow Us
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon